Entenda

Protocolo de atendimento odontológico para pacientes hipertensos

Protocolo de atendimento odontológico para pacientes hipertensos

Dados do Ministério da Saúde indicam que o Brasil tem mais de 38 milhões de pessoas com hipertensão arterial, a famosa “pressão alta”. Com este alto índice, inevitavelmente, seu consultório receberá pacientes que sofrem com o problema.

Diante disso, é importante implementar um protocolo de atendimento odontológico para pacientes hipertensos que preserve a sua saúde e que respeite as suas características, principalmente em atendimentos que envolvem algum procedimento cirúrgico.

Cada paciente requer um tipo de cuidado específico de acordo com o problema a ser tratado. Elementos como a idade, experiências clínicas prévias e comorbidades devem ser levados em conta na hora de oferecer um tratamento odontológico efetivo e de qualidade.

Nesse sentido, é muito importante saber o máximo possível de informações. Isso pode ser feito por meio de exames variados, conversa com o paciente e preenchimento adequado de documentações, a fim de aplicar bons protocolos clínicos.

Este é um conteúdo informativo produzido pelo Centro de Desenvolvimento Odontológico (CDO) com o intuito de te ajudar a melhorar o atendimento oferecido aos seus pacientes. Boa leitura!

O que são protocolos de atendimento?

Dentro da área médica, protocolos são conjuntos de normas e procedimentos que devem ser utilizados na hora de tratar um paciente. Eles mais comumente se apresentam na forma de documentos oficiais onde estão registradas informações importantes para alguma prática.

Ou seja: para cada tipo de situação encontrada pelos profissionais, existe um protocolo de como o tratamento deve ser feito. O objetivo principal é oferecer uma guia e padronização nos cuidados aos pacientes.

Protocolos são específicos para cada área de atuação e cada problema de saúde. Levando isso em conta, é possível dizer que eles são extremamente importantes para a atuação de dentistas, especialmente no trato de pacientes com comorbidades.

É muito importante dizer que as diretrizes apresentadas em protocolos médicos jamais substituem a boa atuação do profissional, já que cada caso é um caso. Eles devem, então, ser utilizados de forma a auxiliar o trabalho cotidiano do dentista.

Qual é a relação entre a hipertensão e a odontologia?

Como citado anteriormente, pacientes que buscam atendimento odontológico têm os mais variados históricos médicos. Isso inclui aqueles com pressão alta crônica, seja ela diagnosticada previamente ou não.

É de extrema importância que o dentista compreenda de que maneira a comorbidade de um paciente afeta a sua prática. Alguns procedimentos requerem alternativas, enquanto outros não podem ser sequer realizados.

Para oferecer o melhor cuidado é necessário que você conheça e implemente um protocolo de atendimento odontológico para pacientes hipertensos quando identificá-los. Este cuidado é extremamente necessário em cirurgias, no uso de um anestésico ou qualquer outra situação que possa provocar aumento da pressão arterial.

A interação medicamentosa também entra aqui e deve ser levada em conta. Pacientes hipertensos, geralmente, fazem uso de remédios controlados, os quais têm impacto em diferentes aspectos da atuação de um dentista.

A partir da compreensão desta relação, você poderá aplicar o procedimento mais adequado. Quais cuidados serão tomados, quando e como serão utilizados são os assuntos do próximo tópico.

Como implementar um protocolo de atendimento odontológico para pacientes hipertensos?

O tratamento odontológico de pacientes com hipertensão requer uma série de cuidados específicos, os quais geralmente estão incluídos em protocolos para casos assim. A pressão alta é considerada uma comorbidade com a qual se deve ter muito cuidado.

Histórico médico do paciente

A primeira etapa do protocolo de atendimento odontológico para pacientes hipertensos é a conversa. No campo médico, essa prática é chamada de “anamnese”, e ela tem como objetivo descobrir informações valiosas às quais o indivíduo já sabe.

A partir da anamnese, o profissional terá os primeiros dados com os quais trabalhar, o que guiará os próximos passos. Será necessário realizar exames? E a consulta com médicos de outras áreas? Quais medicamentos podem (ou não) ser administrados?

Se possível, peça que o paciente compartilhe históricos médicos documentados que possua. Quanto maior a quantidade de informações obtidas durante a conversa, maior qualidade o cuidado odontológico terá.

Faça uma boa observação

A próxima etapa do protocolo de atendimento odontológico para pacientes hipertensos é a avaliação. Pode acontecer, por exemplo, do indivíduo ainda não ter sido diagnosticado com essa doença crônica.

Muitas vezes um paciente pode não saber que é hipertenso, o que torna necessária uma atenção redobrada do profissional que irá realizar os procedimentos odontológicos. Um medidor de pressão arterial, por exemplo, é uma ferramenta extremamente útil.

Sempre observe o comportamento da pessoa hipertensa antes, durante e após o atendimento. A comunicação é de extrema importância na relação médico-paciente, mas nem tudo pode ser esclarecido somente com palavras.

Auxílio de outros profissionais da área médica

De modo geral, a hipertensão não é uma doença que está na alçada dos profissionais da odontologia. Da mesma forma que não se espera que um oftalmologista dê o diagnóstico de um paciente com problemas pulmonares, a sua atuação aqui não poderá ser “solo”.

Levando isso em conta, outra etapa possível do protocolo de atendimento odontológico para pacientes hipertensos envolve uma conversa com médicos cardiologistas. Para procedimentos mais delicados, pode inclusive ser necessária a presença dele.

Assim como qualquer outra especialização, a odontologia se beneficia da troca de conhecimentos com diversas áreas da saúde humana. Em conjunto, os profissionais médicos conseguirão prover o melhor cuidado possível para o paciente hipertenso.

Por fim, alguns atendimentos simplesmente não podem ser realizados em momentos críticos, o que deve sempre ser informado pelo profissional de saúde. Se você acredita que um procedimento coloca em risco a segurança e a saúde do paciente, informe-o disso.

Conhecer e saber como utilizar o protocolo de atendimento odontológico para pacientes hipertensos permitirá oferecer o melhor cuidado em cada consulta. É importante levar em conta as diretrizes oferecidas ao mesmo tempo em que se lida com a situação de maneira individual e humanizada.

Conheça o Centro de Desenvolvimento Odontológico

O CDO é a nova marca de cursos de imersão, aperfeiçoamento e especialização odontológica do Brasil.

Somos integrantes da holding de saúde SERMED e temos como objetivo capacitar e especializar acadêmicos e profissionais dentistas nas áreas mais promissoras da odontologia.

Com uma grade curricular robusta, composta por cursos de imersão, atualização, aperfeiçoamento e especialização, oferecemos a capacitação em temas atuais que vão ajudá-lo a expandir a sua formação.

Todos os cursos de imersão para dentistas do CDO possuem emissão de certificado de conclusão e são ministrados por profissionais atuantes e referências no atendimento especializado.

Se você gostou deste conteúdo em que explicamos o protocolo de atendimento odontológico para pacientes hipertensos, sugerimos que se inscreva em nossa newsletters. Vamos avisá-lo sobre os novos artigos e cursos lançados.

Em alta

Tipos de candidíase na boca – causas e sintomas

Entenda o que causa candidíase em seus pacientes, os fatores de risco e tratamentos disponíveis. Esta infecção fúngica pode surgir por …

Ler matéria

Curso para aplicação de botox: quem pode fazer?

A aplicação da toxina botulínica é um dos procedimentos mais buscado em clínicas odontológicas por todo o país. Saiba como atuar nessa área!

Ler matéria

Quais são os músculos da face? Anatomia facial

Em um rosto existem diversos músculos que desempenham determinadas funções, como a reprodução de movimentos. Conheça agora quais são!

Ler matéria

Sintomas de disfunção temporomandibular e dor orofacial

A disfunção temporomandibular (DTM) é uma síndrome que atinge milhares de pessoas, independente da idade, sexo e raça, sendo muito mais comuns em mulheres adultas. Ao se especializar na área, o dentista será capaz de compreender as características das articulações maxilares, os músculos responsáveis pela mandíbula e poderá identificar os sintomas de disfunção temporomandibular e […]

Ler matéria

Como identificar cárie na radiografia panorâmica?

Você sabia que a radiografia é uma das principais formas de diagnosticar cárie? Veja o que é e como ela pode auxiliar no seu consultório!

Ler matéria

O que é pulpectomia e quem deve fazer?

Este procedimento odontológico faz a remoção da polpa dentária infectada ou doente. A pulpectomia costuma ser uma das etapas do tratamento …

Ler matéria

Outras matérias

Quais são os músculos da face

Quais são os músculos da face? Anatomia facial

Em um rosto existem diversos músculos que desempenham determinadas funções, como a reprodução de movimentos. Conheça agora quais são!

O que é PRF odontologia

O que é PRF na odontologia? Conheça detalhes sobre a técnica

Já ouviu falar sobre PRF na odontologia? Uma técnica que permite ao cirurgião-dentista acelerar a cicatrização em suas cirurgias. Saiba mais!

O que é odontologia legal

O que é odontologia legal e como se especializar na área?

Você sabe o que é odontologia legal? Conheça a importância desta área de atuação profissional bastante delicada e torne-se um especialista!

Como funciona a sedação com oxido nitroso na odontologia

Como funciona a sedação com óxido nitroso na odontologia?

Você sabe como funciona a sedação com óxido nitroso na odontologia? Ela auxilia na sedação do paciente durante o procedimento odontológico. Entenda!