Endodontia

O que é patência em Endodontia e qual é a sua importância no sucesso do tratamento?

O que é patência em endodontia

A Endodontia é a especialidade da odontologia que tem por finalidade eliminar e prevenir doenças pulpares. Em seus procedimentos são usados meios químicos e mecânicos com a finalidade de promover uma limpeza eficaz. Por vezes, resíduos são produzidos, acarretando insucesso do tratamento. Daí, se faz necessária a patência.

O objetivo da Endodontia é eliminar os fatores de risco para uma doença pulpar e, consequentemente, preservar as áreas radiculares. Para isso, usa tanto irrigantes quanto limas, de forma simultânea, de tal forma que os canais são devidamente limpos e modelados.

Neste processo, podem ser produzidos resíduos ainda contaminados, o resultado da instrumentação com lima. É o caso das raspas de dentina, por exemplo, que ao depositar no ápice radicular, pode perpetuar a infecção. Por isso, o profissional deve proceder com a patência para promover a desobstrução do canal.

Neste artigo, vamos explicar melhor o que é patência em Endodontia e outras informações importantes. O conteúdo foi produzido pela redação do Centro de Desenvolvimento em Odontologia (CDO), você vai entender todo o procedimento. Boa leitura!

Entenda o que é patência em Endodontia

A patência, em Endodontia, consiste em uma manobra que refaz o trajeto do canal dentário. Deste modo, limpa e desobstrui a raiz do dente, o que é feito por meio da constrição apical associada ao uso da lima de pequeno calibre.

A aplicação da técnica se justifica pela própria anatomia do canal radicular. Sabe-se que no terço apical é consideravelmente maior, seja qual for o dente. Trata-se de uma zona potencialmente crítica, uma vez que se relaciona com os tecidos periapicais, além de concentrar os canais dentinário e cementário.

Também é nessa área que está o forame apical principal e suas ramificações. Logo, diante dos resíduos deixados pela instrumentação, torna-se necessário proceder com a patência na Endodontia. Assim, são retirados microrganismos do terço apical, principalmente no canal cementário.

Como é feita a patência?

Na prática, a patência consiste em uma técnica de preparação endodôntica. Nela, o objetivo é manter a porção apical do canal livre de detritos. Isso é feito por recapitulação com o uso da lima K flexível de baixo calibre. O profissional deve movê-la passivamente pela constrição apical.

De fato, deve manter de 0,5 a 1 mm além do menor diâmetro do canal, com o cuidado de não alargá-lo. Ao final, a manobra diminui o risco da perda do comprimento de trabalho. Ademais, favorece a irrigação e melhora a sensação tátil, inclusive do próprio profissional. 

Vantagens e desvantagens da patência

Entender o que é patência em Endodontia exige conhecer todas as consequências positivas e negativas deste procedimento. Apesar de, aparentemente, trazer vantagens ao tratamento, ainda há questionamentos relacionados à sua aplicação.

Um deles é a extrusão de detritos contaminados irritantes aos tecidos periapicais. Isso porque há a forte recomendação de haver extrusão de material ou tecido pelo forame apical durante a instrumentação.

A finalidade é evitar dor pós-operatória e inflamação perirradicular. Por outro lado, enquanto é criticada por quem defende a preservação do tecido do canal cementário, a técnica é defendida por microbiologistas.

Entre as vantagens da patência em Endodontia, podemos citar: 

  • Preservação da anatomia original do forame;
  • Manutenção do trajeto do canal radicular;
  • Prevenção dos chamados degraus;
  • Viabilização da instrumentação na região apical pelo transporte do canal radicular;
  • Evitar a formação do tampão apical.

Diante disso, afirma-se que a patência em Endodontia desarticula as colônias bacterianas do ápice radicular. Sendo assim, além de retirar as raspas contaminadas de dentina do forame, permite que soluções químicas auxiliares sejam absorvidas.

As desvantagens da patência em Endodontia se referem aos casos em que ela é contraindicada. Por exemplo, em pacientes jovens cujas raízes são imaturas ou naquelas afetadas por traumas durante a fase de dentição. Aqui é comum haver sangramentos durante a instrumentação.

O procedimento também não é indicado para canais fisiologicamente bloqueados, pois não é possível obter a patência apical devido à deposição de cemento.

Quando a patência é indicada?

A patência é particularmente recomendada nos casos de necropulpectomia, uma vez que impede que raspas necrosadas por contaminação se depositem no canal. A propósito, situações de polpa necrosada só são resolvidas mediante a aplicação da patência.

Cuidados com a patência em Endodontia

Para proceder com a patência em Endodontia, o profissional deve cuidar para que a ampliação do canal se limite à medida de 1 mm aquém do ápice radiográfico ou 1 mm aquém do forame. Tais medidas são detectadas pelo localizador apical eletrônico.

Ainda que a desinfeção possa ser potencializada por preparos amplos, há que se ter cautela para não haver o enfraquecimento excessivo da estrutura dentária. Por fim, é necessário promover a limpeza do segmento apical.

A despeito das discordâncias relacionadas à aplicação da patência em endodontia,  devemos reconhecer seu papel no prognóstico endodôntico, uma vez que aumenta o sucesso do tratamento. Desde que, porém, sejam respeitados os limites quanto às contraindicações e devida instrumentação.

Nós do Centro de Desenvolvimento em Odontologia (CDO) inovamos para trazer a você os melhores cursos de imersão, aperfeiçoamento e especialização odontológica do Brasil.

Todos os cursos odontológicos do CDO possuem emissão de certificado de conclusão e são ministrados por profissionais atuantes e referências no atendimento especializado.

Após entender aqui o que é patência em Endodontia, aproveite para seguir nosso perfil no Instagram. Você será notificado sobre novos conteúdos e turmas abertas!

Em alta

Tipos de candidíase na boca – causas e sintomas

Entenda o que causa candidíase em seus pacientes, os fatores de risco e tratamentos disponíveis. Esta infecção fúngica pode surgir por …

Ler matéria

Curso para aplicação de botox: quem pode fazer?

A aplicação da toxina botulínica é um dos procedimentos mais buscado em clínicas odontológicas por todo o país. Saiba como atuar nessa área!

Ler matéria

Quais são os músculos da face? Anatomia facial

Em um rosto existem diversos músculos que desempenham determinadas funções, como a reprodução de movimentos. Conheça agora quais são!

Ler matéria

Sintomas de disfunção temporomandibular e dor orofacial

A disfunção temporomandibular (DTM) é uma síndrome que atinge milhares de pessoas, independente da idade, sexo e raça, sendo muito mais comuns em mulheres adultas. Ao se especializar na área, o dentista será capaz de compreender as características das articulações maxilares, os músculos responsáveis pela mandíbula e poderá identificar os sintomas de disfunção temporomandibular e […]

Ler matéria

Como identificar cárie na radiografia panorâmica?

Você sabia que a radiografia é uma das principais formas de diagnosticar cárie? Veja o que é e como ela pode auxiliar no seu consultório!

Ler matéria

O que é pulpectomia e quem deve fazer?

Este procedimento odontológico faz a remoção da polpa dentária infectada ou doente. A pulpectomia costuma ser uma das etapas do tratamento …

Ler matéria

Outras matérias

O que é odontologia legal

O que é odontologia legal e como se especializar na área?

Você sabe o que é odontologia legal? Conheça a importância desta área de atuação profissional bastante delicada e torne-se um especialista!

Dicas de marketing digital para dentistas

Dicas de marketing digital para dentistas

As formas de divulgação mudam constantemente e é importante saber quais ferramentas usar para captar novos pacientes. Para isso, …

Quais são os tipos de sutura odontológica

Quais são os tipos de sutura odontológica?

Você conhece os principais tipos de sutura odontológica? Saiba que elas são imprescindíveis para a cura do tecido após incisões. Entenda!

O que é CID Odontológica

O que é CID Odontológica? Entenda a Classificação Internacional de Doenças

Você já ouviu falar da CID Odontológica? Entenda agora o que é, como funciona e a importância dessa classificação na rotina dos dentistas!